2019 – Ana Carolina celebra duas décadas de carreira

Parece que foi ontem que milhões de fãs começaram a se apaixonar pela potente voz de uma cantora mineira, marcada pelo registro grave de um contralto com grande alcance vocal. Mas em 2019, Ana Carolina, considerada uma das maiores intérpretes e compositoras do país, comemora duas décadas de carreira fonográfica repleta de grandes sucessos que marcaram a história recente da Música Popular Brasileira.

“Eu viveria minha vida infinitas vezes. Me sinto realizada, com uma carreira vitoriosa. Mas, ao mesmo tempo, sei que preciso aprender muito ainda. Comemorar 20 anos é, para mim, um modo de olhar para trás e tentar avaliar a minha trajetória, onde acertei e para onde irei agora. O tempo vai formulando novas perguntas, mantendo o meu interesse e minha curiosidade pela música e pela vida”, diz Ana Carolina.

Para marcar este momento especial, Ana Carolina lança “Fogueira em Alto Mar” (Sony Music), um esperado trabalho de inéditas após um hiato de seis anos – um silêncio que ela diz ter sido importante para produção de novas notas. “Em 2015, trabalhei com o DJ Mikael Mutti, que gravou com Will.i.am e Stevie Wonder. Fizemos uma turnê que se chamava SOLO. Neste show, cantei pela primeira vez a música ‘O Que é Que Há’, que gravei no início de 2018 para este disco novo. Ela me foi indicada por Rodrigo Faour, pesquisador e escritor de vários livros importantes sobre a música brasileira”.

E ainda relembra: “Em 2016, lancei o livro ‘Ruído Branco’. Fiz um show homônimo com o músico Thiago Anthony e realizamos uma turnê pelo Brasil e Portugal, onde o livro também foi lançado”.

Fogueira em Alto Mar – Sendo o 11° em sua discografia, o álbum em estúdio terá doze canções inéditas, cujas composições iniciaram em 2018. Com produção da própria Ana Carolina e de Alê Siqueira, o conteúdo será lançado em três EPs, sendo o primeiro com seis músicas – incluindo o primeiro single “Não tem no Mapa” (Ana Carolina/ Bruno Caliman), que já sai com videoclipe e estará disponível em todas plataformas digitais a partir de 31 de maio. “Serão músicas novas pops, representando um outro momento frutífero. Queria fazer as canções inéditas com todo o meu coração”, conta.

Já o segundo EP, cujo single será “Tudo e Mais um Pouco” (Ana Carolina/ Dudu Falcão), terá outras três músicas e estará disponível a partir de 28 de junho. As três últimas canções, entre elas o single “Com Vista para Amar” (Ana Carolina/ Bruno Caliman/ Edu Krieger), se juntam aos dois primeiros EPs e completam o repertório do álbum, a partir de 26 de julho.

“Fogueira em Alto Mar” tem seu pilar em uma nova safra de canções com Zé Manoel, Edu Krieger e Antonio Villeroy. Além disso, chama atenção uma parceria inédita com  Bruno Caliman. “Assim como eu, Bruno é bastante exigente. Então, a gente se completou e, desse encontro, nasceram duas músicas do álbum”, adianta.

Uma das faixas mais esperadas – e que poderá ser conferida ainda no primeiro EP – é “Da Vila Vintém ao Fim do Mundo” (Ana Carolina/Zé Manoel). O samba é uma homenagem a Elza Soares, de quem Ana Carolina é admiradora confessa. “Sempre fui muito fã da Elza. Ela havia me pedido uma música em 2017, que, claro, não consegui fazer, como sempre acontece quando tenho que compor para uma grande diva… Então pensei em fazer essa homenagem para ela. Me juntei com Zé Manoel e escrevemos. Ela participou cantando alguns trechos e fez improvisos vocais na faixa. A gravação foi uma alegria só! Ela é radiante, tem uma energia única. Nos divertimos muito, jamais esquecerei aquela tarde”.

O disco também traz outro samba, mais uma indicação de seu amigo e parceiro Rodrigo Faour. No melhor estilo “gafieira”, Ana Carolina empresta a voz para o irresistível “1296 Mulheres”, composto em 1966 por Moreira da Silva, faixa presente também no primeiro EP.